Com elevação da taxa Selic, juros no empréstimo bancário ficarão mais caros - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Brasil Com elevação da taxa Selic, juros no empréstimo bancário ficarão mais caros

Com elevação da taxa Selic, juros no empréstimo bancário ficarão mais caros

O cidadão brasileiro que tiver a intenção de fazer um empréstimo no banco vai precisar pensar melhor, pois os juros ficarão mais altos como no conhecido empréstimo consignado feito por idosos. 

Por exemplo, quem for comprar uma geladeira a prazo, vai pagar mais juros. Isto acontece porque o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central elevou a taxa Selic de 2,75% para 3,5% ao ano, um aumento de 0,75 ponto percentual. 

A Selic é a taxa de juros da economia brasileira que influencia na hora de fazer empréstimos e financiamentos.

O economista especialista em política monetária, Newton Marques, disse que o Banco Central entende que elevando a taxa de juros, faz com que o brasileiro consuma menos, evitando, assim, a inflação. “Faz com que as pessoas que consomem com base nessas operações de crédito diminuam o seu consumo, e ao mesmo tempo as empresas que têm que investir diminua seus investimentos.

Com isso, a chamada demanda agregada da economia, que é a demanda, que é por bem de serviços, seja reduzida e, com isso, a inflação seja controlada”, explica. Newton Marques ainda questiona: quem é que garante que hoje, com esta recessão provocada pela pandemia, exista um excesso de demanda? “Isso que motiva o Banco Central é discutível.

 As causas que estão levando à inflação, no momento estão relacionadas com a desvalorização cambial, com a elevação dos preços das commodities internacionais e com frustrações de safra, além da desorganização da produção. É mais para o lado da oferta do que pela demanda”.Para o economista Raul Velloso, a decisão tomada pelo Banco Central não é a mais acertada para controlar a inflação no Brasil. “Isso daí é uma visão equivocada de que o combate à inflação no Brasil precisa que o Banco Central coloque a taxa de juros em um nível mais alto, para evitar que a inflação ou fique no ponto que está ou aumente a partir daí”, ressalta o economista.

Raul Velloso afirma que a elevação dos juros traz outras consequências para o país, podendo aumentar o desemprego ao invés de recuperar a economia. “Nós vamos tender a patinar mais, porque os juros, quando ele sobe, inibe a atividade econômica de várias formas. Aí o primeiro problema que isso causa para o consumidor em geral é a diminuição dos empregos e da recuperação, que neste momento até poderia estar acontecendo, ou seja, bota mais gente na rua para engrossar o batalhão de desempregados”. Analistas acreditam que para o mês de junho, o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, eleve a taxa Selic em 0,75%, a exemplo deste mês de maio.

 

 

Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay 

Veja as mais acessadas