SC cria 33,9 mil empregos, aumento de 95% em fevereiro, de acordo com o Caged - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Santa Catarina SC cria 33,9 mil empregos, aumento de 95% em fevereiro, de acordo com o Caged

SC cria 33,9 mil empregos, aumento de 95% em fevereiro, de acordo com o Caged

Santa Catarina abriu 33.994 vagas formais de trabalho em fevereiro de 2021, resultado de 132.831 admissões e 98.837 demissões no Estado, um aumento de 95% em relação ao mesmo mês de 2020, que registrou um saldo de 17.395 empregos. É o quarto melhor desempenho do país em volume de carteiras assinadas. O balanço foi divulgado nesta terça-feira, 30, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia.

Os números de fevereiro foram os melhores do ano com crescimento de 3,9% em relação a janeiro, que teve 32.694 vagas criadas. O resultado também representa mais de 8% dos 401.639 empregos gerados em todo o território nacional no mês passado.

“Com um aumento de 95% de empregos formais, em relação ao mesmo período de 2020, Santa Catarina mostra sua força produtiva diante do cenário nacional. A manutenção do emprego é peça chave no enfrentamento deste período e representa a força que faz a roda da economia girar. É fundamental trabalharmos de maneira justa, pela saúde das pessoas e pelas oportunidades no mercado de trabalho. Assim, seguiremos adiante rumo a retomada pós pandemia”, avalia o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon.

Em termos relativos, Santa Catarina ampliou em 3,09% o estoque de trabalhadores com carteira assinada nos últimos dois meses, o segundo maior crescimento relativo entre os estados e acima da média nacional, cuja ampliação foi de 1,68%.

Atividades econômicas

A alta na criação de vagas de emprego com carteira assinada no estado foi impulsionada em fevereiro pela Construção, com a criação de 2.389 postos, uma variação de 2,04%.

Em números absolutos, as atividades de serviços foram o grande destaque, com a criação de 14.883 postos, com uma variação de 1,81%. O resultado foi puxado, principalmente, por setores como administração pública (3.499), educação (2.481), saúde (1.159) e atividades de limpeza (1.473).

Na indústria, que também apresentou excelente desempenho com a segunda maior variação (1,92%) entre os grandes grupamentos, os subsetores que mais contribuíram foram a confecção de artigos do vestuário (3.236), produtos têxteis (1.466) e produtos alimentícios (1.394).

Veja as mais acessadas