Produtividade que era de 250 sacas por hectare, agora será de 60 sacas em SC - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Água Doce Produtividade que era de 250 sacas por hectare, agora será de 60 sacas em SC

Produtividade que era de 250 sacas por hectare, agora será de 60 sacas em SC

Além da seca, os produtores vêm sofrendo com a ocorrência de cigarrinha nas lavouras

As lavouras de milho no em Santa Catarina, estão, uma vez mais, sendo castigadas pela seca, bem como pela praga da cigarrinha. De acordo com informações colhidas pela Abramilho junto a produtores associados no estado, de uma estimativa inicial de produção em torno de 2,7 milhões de toneladas, a safra 2020/21 catarinense de milho deve chegar, no máximo, a 1,5 milhão.

 “O produtor que plantou para colher 250 sacas por hectare, vai colher 50, 60”, diz Cesario Ramalho da Silva, presidente institucional da entidade.

Estima-se que o estado terá que importar cerca de cinco milhões de toneladas de milho para o abastecimento interno. “Isso também levará ao aumento nos custos de produção das agroindústrias”. Santa Catarina é relevante polo produtor de proteína animal, principalmente suínos e frangos de corte, sendo grande consumidor do grão sob a forma de ração animal.

O dirigente acentua, ainda, que muitos produtores venderam antecipadamente a safra e que, pelas perdas de produção, terão dificuldades para honrar os compromissos de entrega. “Diante do crítico cenário da temporada atual, muitos produtores de milho já manifestaram interesse em trocar de cultura no próximo ciclo”, finaliza

            O Secretário da Agricultura de Água Doce Ivanir Puton acompanha a situação no município e região e salienta que há a possibilidade dos municípios da AMMOC decretar situação de emergência.

            “Esta situação pegou o agricultor de surpresa já que não havia casos anteriores na região, também não há defensivos para combater a cigarrinha” salienta Puton.

            O ataque da cigarrinha se deve pelo período de estiagem ocorrido em setembro onde o inseto se adaptou e se proliferou por Santa Catarina.

            A queda na produção influenciará diretamente na produção regional, já que é incisiva na produção de milho além de silagem tanto para gado de corte e leite.

Veja as mais acessadas