Região da Amarp entra para o nível gravíssimo de risco de contaminação pela covid-19 - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Santa Catarina Região da Amarp entra para o nível gravíssimo de risco de contaminação pela covid-19

Região da Amarp entra para o nível gravíssimo de risco de contaminação pela covid-19

Nessa quarta-feira (05), o Governo do Estado encaminhou o informativo atualizado da Matriz de Risco com os dados que mostram que a Associação dos municípios do Alto Vale do Rio do Peixe (Amarp), entrou no nível vermelho (gravíssimo) da Covid-19.

Nesta semana são oitos as regiões no gravíssimo, o que representa 50% das regiões de saúde em situação de risco, sendo que a nossa região foi reclassificada do risco grave para gravíssimo.

A maior preocupação nesse momento é com a elevada capacidade de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). São 10 regiões no gravíssimo e 5 no grave, ou seja, maior parte das regiões possui altas taxas de ocupação. Atualmente a capacidade ocupada de Leitos de UTIs usada no modelo é de cerca de 83%.

Nessa quinta-feira (06), os prefeitos da Amarp se reúnem em reunião virtual para discutir a nova classificação da região para o nível gravíssimo, bem como quais serão as próximas ações a serem colocadas em prática nos municípios da nossa região.

A região entrando para o nível gravíssimo deve adotar as medidas do decreto do Governo do Estado, que traz algumas restrições como a suspensão do transporte coletivo, bem como o fechamento de parques, praças e afins.

Praticamente todas as regiões de saúde estão no nível gravíssimo com relação a dimensão de isolamento, ou seja, ocorre ampliação dos casos ativos de uma semana para outro, passando de 10.473 para 10.955, aumento de 5%. Isso indica possibilidade de crescimento exponencial da COVID-19 já que a RT (taxa de transmissibilidade) está no intervalo entre 1,26 e 1,32.

Continuam no estado de alerta máximo as seguintes regiões: Alto Vale do Itajaí; Carbonífera; Extremo Sul Catarinense; Foz Do Rio Itajaí; Médio Vale Do Itajaí; Meio Oeste e Nordeste. São oito Regiões no Grave, o que representa 50% das regiões de saúde em situação de risco.

Uma nova região foi reclassificada do risco Alto para Grave (Extremo Oeste), sendo que cinco regiões foram reclassificadas do gravíssimo para o grave, são elas: Alto Uruguai Catarinense; Grande Florianópolis; Oeste; Planalto Norte e Xanxerê.

Continuam no estado de alerta: Laguna e Serra Catarinense.

Veja as mais acessadas