Temporal causa estragos no Oeste de SC. Defesa Civil avalia passagem de tornado - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Oeste Catarinense Temporal causa estragos no Oeste de SC. Defesa Civil avalia passagem de tornado

Temporal causa estragos no Oeste de SC. Defesa Civil avalia passagem de tornado

Um temporal causou alagamentos, destelhamentos, quedas de ponte e árvores no Oeste catarinense entre a tarde e a noite de quarta-feira (10). Após um período de estiagem, o excesso de chuva voltou a causar estragos na região pelo segundo dia consecutivo. A Defesa Civil avalia uma possível ocorrência de um tornado em Iporã do Oeste, Descanso, Belmonte e Itapiranga após rajadas de ventos de aproximadamente 130 km/h atingirem as cidades. Nesta quinta-feira (11), órgãos municipais se reúnem para discutir as características do fenômeno.

O meteorologista Leandro Puchalski explicou que tornados podem ser identificados por meio de imagens e a partir dos estragos causados. São funis que ficam entre a base da nuvem e o solo e têm como característica o movimento giratório, de acordo com ele.

Em Descanso, parte de árvores de uma avenida foram derrubados e um caminhão tombou com a força do vento.

 "Normalmente, quando você tem um vento muito forte, a árvore tomba. No caso de um tornado, você tem a árvore ainda em pé, mas cortada ao meio, como se alguém tivesse passado um machado. Os indicativos como um todo sinalizam a possibilidade muito forte de a gente ter tido um tornado na região. A questão é que a gente tem uma outra condição, uma microexplosão, que também traz um pouco essa característica", afirmou.

 Conforme Puchalski, microexplosão consiste em uma grande quantidade de ar que sai da base da nuvem em direção ao solo, com características semelhantes as do tornado.

 

 
 
Foto: Marcos Lewe / 103FM
Foto: Marcos Lewe / 103FM
Foto: Marcos Lewe / 103FM
Foto: Marcos Lewe / 103FM
Foto: Marcos Lewe / 103FM
 
 

Chuva causou inundações

 

A chuva, que tem causado prejuízo aos produtores rurais do Oeste pela ausência, chegou em excesso para municípios da região.

Os volumes registrados entre a noite de segunda-feira (8) e a manhã desta quinta ficaram entre 154 e 220 milímetros. O índice considerado normal para o mês de junho, conforme o meteorologista Leandro Puchalski, é de 130 a 150 milímetros.

 

  • Ponte Serrada: 222 milímetros
  • Caibi: 216 milímetros
  • Videira: 200 milímetros
  • Mondaí: 195 milímetros
  • Águas Frias: 188 milímetros
  • Chapecó: 177 milímetros
  • Pinhalzinho: 158 milímetros
  • Rio das Antas: 154 milímetros

 

Em Saudades, rios transbordaram e um deles subiu aproximadamente 4,5 metros. Parte de uma comunidade ficou submersa e animais ficaram ilhados. No Centro da cidade, câmeras registraram o momento em que um homem caiu em um buraco coberto pela água.

O coordenador Defesa Civil Saudades, Pedro Heinzen, pede que moradores tenham cuidado ao transitar na cidade. "Não aproximar dos rios, não ultrapassar onde não tem certeza que é possível", disse.

De acordo com ele, equipes da prefeitura, do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil permanecem mobilizados nesta quinta-feira para auxiliar os moradores.

Após período de estiagem, fortes chuvas causam enchente em municípios do Oeste catarinense — Foto: NSC TV/Reprodução

Após período de estiagem, fortes chuvas causam enchente em municípios do Oeste catarinense — Foto: NSC TV/Reprodução

 

Em Xanxerê, casas e lojas ficaram inundadas com a chuva, que começou ainda pela manhã, e provocou também queda de pontes e muros. "Uma manhã bem complicada, atípica. Não é normal o volume de chuva que teve, a população ficou bem apreensiva", relatou Vagner Ribeiro, morador do município.

Carro fica inundado após fortes chuvas atingirem o município de Descanso, no Oeste de SC — Foto: NSC TV/Reprodução

Carro fica inundado após fortes chuvas atingirem o município de Descanso, no Oeste de SC — Foto: NSC TV/Reprodução

 

O Corpo de Bombeiros acionou uma força tarefa e equipes de outras cinco cidades vizinhas prestam apoio. O bombeiro militar, capitão Nolan Volkweis, conta que pelo menos quatro bairros, além do Centro, foram atingidos.

"Tivemos oito ocorrências pontuais onde a gente atendeu diversas pessoas fazendo realocamento e fazendo auxílio para transporte sobre a água. No interior, duas pontes que vieram a ruir", disse.

Alagamentos também foram registrados em Nova Erechim, São Carlos, Cunhataí, Águas Frias, Coronel Freitas e Cunha Porã. Em Ipuaçu, árvores caíram e pelo menos trinta casas foram destelhadas. Em Xaxim, a chuva provocou queda de muros.

Nesta quinta-feira, permanece a previsão de chuva na região. Por isso, a Defesa Civil orienta que moradores evitem circular por estradas e pontes para evitar acidentes. Em casos de emergência basta ligar para o 199, que é o telefone da Defesa Civil ou ainda para o 193 do Corpo de Bombeiros e 192 do Samu.

 

Fonte: G1

Veja as mais acessadas