Treze Tílias – Trezetiliense conta como superou o coronavírus - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Treze Tílias Treze Tílias – Trezetiliense conta como superou o coronavírus

Treze Tílias – Trezetiliense conta como superou o coronavírus

A trezetiliense Luciana Santos, de 39 anos, foi diagnosticada com Covid 19, dia 3 de maio. Ela é técnica em enfermagem no Hospital Universitário Santa Terezinha (HUST), que o hospital referência da região da AMMOC para o tratamento de casos do novo coronavírus.

Casada, e mãe de três filhos, Luciana falou durante o programa Manhã Tropical, da Rádio Tropical FM (assista no final da matéria), sobre a experiência de enfrentar o vírus causador da pandemia, que tem afetado significativamente a vida em todo mundo.

Ela lembrou que ainda no início da pandemia, familiares e amigos sugeriram que ela parasse de trabalhar no hospital, para preservar sua saúde.

“Expliquei que eu tinha que ir por todos os pacientes, por quem tem pessoas com câncer, outros que precisam fazer hemodiálise, entre tantas outras situações e que precisam que os profissionais de saúde estejam no hospital”, detalhou Luciana.

A técnica em enfermagem explica que teve sintomas leves da doença, como sonolência, irritabilidade, perda de olfato e paladar, dor de cabeça intensa, cansaço intenso. “Não parecia uma gripe, só fui suspeitar quando li um artigo científico sobre os sintomas”, complementou Luciana.

Ao ter o resultado confirmado, a trezetiliense foi afastada do trabalho e precisou assinar um termo de responsabilidade. Também recebeu um protocolo de como deveria agir ao iniciar o isolamento em casa, já que apresentava sintomas leves.

“A parte mais complicada foi chegar em casa e contar o diagnóstico para a família. Separar todos os itens para uso pessoal, como toalha, xícara e talheres e ouvir minha filha dizendo que queria me dar um abraço”, contou Luciana.

O marido se reuniu com as filhas gêmeas de 13 anos e o filho de 19 para definir a atribuição de cada um na casa, enquanto a mãe estivesse isolada.

Eles receberam também apoio de amigos e familiares durante o período de isolamento. Luciana explica que não tomou medicação específica para a Covid 19, apenas para a dor de cabeça, que era intensa.

Luciana revelou que seu maior medo era correr o risco de passar o vírus para o marido e os filhos, no entanto, ela sempre tomou todos os cuidados ao retornar do trabalho, como tirar o calçado antes de entrar em casa e ir imediatamente para o banho antes de manter contato com eles.

O marido e o filho de Luciana fizeram o teste para Covid, e o resultado foi negativo, confirmado que eles não haviam sido contaminados. As filhas não tiveram nenhum sintoma, mas foram acompanhadas constantemente com aferição de temperatura e outras medidas, já que tem bronquite.

Sobre os desafios no enfrentamento da doença, ela comentou que foi preciso uma atenção especial com a saúde mental, por isso evitou focar em muitas informações sobre a doença, porque o que precisava saber sobre sintomas e como agir nesse momento, ela já sabia.

“Teve um momento em que tive falta de ar, e fiquei com medo de meus pulmões estarem debilitados, mas percebi que naquele momento era a ansiedade que estava provocando aquilo”, acrescentou.

Luciana agradeceu a todas as mensagens de apoio e demonstrações de carinho que recebeu durante esse período e disse que está muito feliz ao poder voltar ao trabalho, que tanto ama e sentia saudades.

Como principal lição desse momento, ela destacou a importância da empatia, ou seja, das pessoas se colocarem no lugar do outro e cuidarem do outro.

 

 

Veja as mais acessadas