Câmara cassa mandato da prefeita de Monte Carlo - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Oeste Catarinense Câmara cassa mandato da prefeita de Monte Carlo

Câmara cassa mandato da prefeita de Monte Carlo

A câmara de vereadores de Monte Carlo, retomou na noite de quinta-feira (13), a sessão destinada a votar o processo de cassação por improbidade administrativa da prefeita Sonia Vedovatto (PSDB).

Em relação ao plenário, o que foi julgado era a denúncia sobre a apropriação de valores da administração, relativas à festa do município de 2017. Processo este, que teve início nas denúncias protocoladas na Câmara, por Delcir Barzotto, no dia 13 de junho de 2018, que então, visava apurar a prática ilegal da prefeita.

A prefeita em questão pediu um mandado de segurança que confirmou a medida liminar, anulando o recebimento da denúncia no primeiro fato, a denúncia seria pelas festividades na comemoração do aniversário do município de Monte Carlo em 2017, onde os balanços das receitas entre bebidas, comidas, patrocinadores e outros não foi transformado em receita pública.

A prefeita defende-se alegando que, as prestações de contas e seus gastos da festa do município de 2017, foram suportados pela Secretaria de Administração, e que Delcir, que era o responsável pela realização de procedimentos das licitações do município, teria levado consigo os documentos provatórios.

Sendo assim, a votação ficou desta forma:

Votaram a favor do relatório FATO 1:
Vereador Adair Gonçalves (MDB)
Vereador Ademir Valduga (MDB)
Vereador Luizinho Cordeiro (MDB)
Vereadora Cristina Rigo (PSD)
Vereador Valcemir Cordeiro (PSDB)
Vereador Volnir Stratman (PSD)

Votaram contra o relatório FATO 1:0),
Vereador Joel de Oliveira (PP)
Vereador Oravio Cordeiro (PCdoB)
Vereador Dirceu de Souza (PSDB)

Ao fim da sessão, nenhum vereador quis se manifestar sobre a votação, preferindo o voto de silêncio e de acordo com a assessoria jurídica da Câmara de Vereadores de Monte Carlo, o próximo passo é informar ao Tribunal de Justiça Eleitoral. A prefeita dispõe de defesa e deve recorrer do processo ao TSE.

 

Fonte; Portal Coroado

Veja as mais acessadas