Saldo de emprego em julho de 2019 é o melhor para o mês desde 2010 em SC - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Santa Catarina Saldo de emprego em julho de 2019 é o melhor para o mês desde 2010 em SC

Saldo de emprego em julho de 2019 é o melhor para o mês desde 2010 em SC

A geração de emprego em julho deste ano em Santa Catarina é a melhor para o mês desde 2010. Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta sexta-feira (23), mostram que o saldo de vagas no Estado ficou em 3,4 mil vagas, resultado de 84,4 mil admissões e 80,9 mil demissões. O último resultado que supera este foi registrado em julho de 2010, quando 5,1 mil postos de trabalho foram criados em SC. De lá para cá, apenas em quatro meses os resultados foram positivos, mas nenhum superou julho de 2019.

Na comparação com o saldo de junho, o desempenho observado em julho foi superior, já que no sexto mês do ano, SC registrou a abertura de apenas 940 vagas. No ano, a evolução do emprego no Estado é positiva, acumulando 53,7 mil vagas. O bom desempenho se repete no saldo dos últimos 12 meses. Já são 61,6 mil postos de trabalho criados em Santa catarina, variação parcial de 3,09% em comparação ao mesmo período de 2018.

Em julho deste ano, conforme o levantamento, o setor de serviços se destacou na manutenção das vagas e, apesar de 29,1 mil demissões frente a 30,9 mil contratações, 1,7 mil empregos foram gerados nesta área. Em seguida, aparece a construção civil, com saldo positivo de 1 mil vagas. Apenas duas das oito áreas observadas pelo Caged demitiram mais do que contrataram, entre elas o setor agropecuário (-241) e o de serviços industriais de utilidade pública (-55).

Entre os municípios com melhor desempenho no período estão São José, na Grande Florianópolis, que criou 924 vagas, e Chapecó, no Oeste catarinense, com saldo de 456 postos de trabalho. Já entre as cidades onde o número de demissões superou o de admissões, estão Indaial (-212) e Itajaí (-191).

 

Cenário nacional também fechou positivo

Pelo quarto mês consecutivo, o emprego formal também cresceu no Brasil. Segundo o Caged, houve a abertura de 43,8 mil vagas de trabalho com carteira assinada em julho, um crescimento de 0,11% em relação ao estoque de junho.

Também houve crescimento no emprego se considerados os resultados dos sete primeiros meses deste ano. De janeiro a julho foram abertas 461.411 vagas formais, variação de 1,20% sobre o estoque. Em 2018, no mesmo período, as novas vagas tinham somado 448.263.

Nos últimos 12 meses, o saldo ficou positivo em 521,5 mil empregos, variação de 1,36%. Assim como no acumulado do ano, os últimos 12 meses tiveram crescimento maior do que no período anterior. Em 2018, o saldo tinha ficado positivo em 286,1 mil vagas.

Desempenho regional

Todas as regiões do Brasil tiveram crescimento no mercado formal de trabalho em julho. O maior saldo foi na região Sudeste, com 23,8 mil vagas de emprego com carteira assinada, crescimento de 0,12%. Em seguida, aparece o Centro-Oeste, Norte, Nordeste e Sul.

Das 27 unidades da federação, 20 terminaram julho com saldo positivo no emprego. A maior parte das vagas foi aberta em São Paulo, onde foram criados 20.204 postos de trabalho, em Minas Gerais, com 10.609 novas vagas, e no Mato Grosso, que teve saldo positivo de 4.169 postos.

Os piores resultados foram Espírito Santo, onde foram fechadas 4.117 vagas, Rio Grande do Sul, com 3.648 postos a menos e Rio de Janeiro, que fechou julho com saldo negativo de 2.845 postos.

 

Veja as mais acessadas