Catarinense é morta em Luxemburgo e namorado é suspeito do crime - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais

Santa Catarina Catarinense é morta em Luxemburgo e namorado é suspeito do crime

Catarinense é morta em Luxemburgo e namorado é suspeito do crime

Uma mulher catarinense foi assassinada no sábado à noite em Luxemburgo, pequeno país europeu localizado entre França, Alemanha e Bélgica. Dione Streckert, de 52 anos, teria sido morta dentro de casa na cidade de Esch-sur-Alzette, na fronteira com a França e a cerca de 20 quilômetros da capital, também chamada Luxemburgo.

Segundo informações dos jornais locais LUX24 e L'essentiel, Dione morreu após ter sido atacada em casa por volta das 18h. A polícia local foi acionada e, segundo os jornais, encontrou a mulher caída no chão e com muitos ferimentos pelo corpo. Ela chegou a ser atendida pelos socorristas e levada ao hospital, mas não resistiu.

Conforme as informações da polícia local, o namorado de Dione, um homem de origem portuguesa, é o suspeito do crime e foi preso. Ainda não há informações sobre a motivação. Uma vizinha da vítima, que não quis se identificar, relatou ao NSC Total que antes do crime era possível ouvir alguns gritos, mas no momento não foi possível identificar o que estava acontecendo.

Outros brasileiros que moram em Luxemburgo relataram através das redes sociais que o crime chocou a comunidade estrangeira do país. Na noite do crime todo o quarteirão onde o assassinato ocorreu chegou a ser bloqueado pela polícia.

Conforme os jornais locais, a família de Dione já está a caminho de Luxemburgo. A reportagem tentou contato com o Consulado Brasileiro em Bruxelas (que responde por Luxemburgo), mas não teve retorno.

De acordo com uma sobrinha da vítima, Raquel Aigner, que mora em Treze Tílias, sua mãe, que mora na Áustria, e uma prima, que mora na Itália, estão indo para Luxemburgo, onde devem chegar à noite.

Ela afirmou que a tia tinha três filhas e um filho. O rapaz mora em Londres. A filha mais velha mora em Treze Tílias, uma mora na Itália e a caçula, de nove anos, morava com ela e o companheiro, que é suspeito.

A menina foi levada para um abrigo.

- Conheci esse namorado dela há dois anos, quando morava na Áustria e eles visitaram nossa casa. Na quarta-feira ela viria de férias para o Brasil - lamentou.

embedgooglemap.net themse

 

País recebe centenas de catarinenses

A pequena nação de Luxemburgo é conhecido por receber muitos catarinenses que descobrem ter direito à cidadania do país. Segundo informações do consulado, SC tem cerca de 5 mil descendentes de luxemburgueses, boa parte na Grande Florianópolis — razão que faz a cidade de Palhoça ter desde o começo do ano um Consulado luxemburguês no município.

Como o país possui uma legislação ampla para a obtenção de cidadania e tem um dos melhores IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do mundo, a procura pela dupla-cidadania é grande entre os catarinense com descendência luxemburguesa.

 Fonte: NSC

Galeria de Imagens

Veja as mais acessadas