Furacão com ventos de até 250 km/h e de potencial catastrófico se aproxima da Flórida - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais
Concorra a prêmios! Seja o primeiro
a saber dos sorteios e promoções.

E.U.A. Furacão com ventos de até 250 km/h e de potencial catastrófico se aproxima da Flórida

Furacão com ventos de até 250 km/h e de potencial catastrófico se aproxima da Flórida

O furacão Michael subiu, nesta quarta-feira (10), para a categoria 4 na escala Saffir-Simpson (que vai até 5) e se aproxima da Flórida, nos EUA, com potencial catastrófico, de acordo com o último boletim do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, sigla em inglês).

A costa desse estado no sul dos Estados Unidos se prepara para chuvas intensas, ventos fortes e ondas gigantes. Cerca de 500 mil pessoas receberam ordem ou alerta para deixar suas casas.

Na manhã desta quarta, ele subiu da categoria 3 para 4, a menos de 300 km da Flórida. Por volta 9h (10h no horário de Brasília), Michael estava a 115 km a oeste da Apalachicola (Flórida) com ventos máximos sustentáveis de 230 km/h.

 
Ondas batem em píer enquanto o furacão Michael se aproxima de Panama City Beach, na Flórida, nesta quarta-feira (10)  — Foto: Jonathan Bachman/ ReutersOndas batem em píer enquanto o furacão Michael se aproxima de Panama City Beach, na Flórida, nesta quarta-feira (10)  — Foto: Jonathan Bachman/ Reuters

Ondas batem em píer enquanto o furacão Michael se aproxima de Panama City Beach, na Flórida, nesta quarta-feira (10) — Foto: Jonathan Bachman/ Reuters

Michael é considerado extremamente perigoso e pode provocar mortes, principalmente, se ele mantiver força quando tocar o solo em Panhandle e Big Bend, na Flórida, o que está previsto para acontecer nas próximas horas.

No seu último boletim, divulgado às 3h (horário de Brasília), o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, sigla em inglês) informou que o olho do furacão estava a 275 km de Apalachicola e 290 km de Panama City, ambas na Flórida.

Os prognósticos do NHC também indicam que Michael seguirá se fortalecendo durante as próximas horas até tocar a terra na Flórida, mas ainda não está claro se conseguirá alcançar a categoria 5, reservada para furacões com ventos de 252 km/h ou mais.

Pessoas que estão nesta quarta-feira (10) em um abrigo montado, em Panama City, por causa da aproximação do furacão Michael — Foto: Brendan Smialowski / AFP

Pessoas que estão nesta quarta-feira (10) em um abrigo montado, em Panama City, por causa da aproximação do furacão Michael — Foto: Brendan Smialowski / AFP

Michael deve percorrer a Flórida entre esta quarta e quinta-feira (11), atravessará o sudeste dos EUA até voltar a sair para o Oceano Atlântico na sexta-feira (12).

O presidente Donald Trump falou nesta quarta sobre o furacão e anunciou que deve viajar para área atingida por Michael no domingo ou na segunda-feira.

 
Furacão Michael atingirá Flórida, Geórgia e Alabama — Foto: Juliane Monteiro/G1

Furacão Michael atingirá Flórida, Geórgia e Alabama — Foto: Juliane Monteiro/G1

 

'Tempestade monstro'

 

Cerca de 3,7 milhões de pessoas estão sob alerta de furacão nas regiões de Panhandle e Big Bend, assim como no sudeste do Alabama e no sul da Geórgia.

 

O governador da Flórida, Rick Scott, classificou Michael como uma “tempestade monstro” e fez um apelo para que as pessoas obedeçam às ordens de esvaziamento.

O Serviço Meteorológico Nacional na capital do estado, Tallahassee, afirmou que o furacão Michael é “um fenômeno sem precedentes e não pode ser comparado com nenhum dos anteriores”. “Não arrisque sua vida, saia agora se você recebeu a ordem para fazer isto", afirma o comunicado.

 
Moradores da Flórida se preparam para chegada do furacão Michael, que chegou à categoria 3 nesta terça-feira (9) — Foto: REUTERS/Jonathan Bachman

Moradores da Flórida se preparam para chegada do furacão Michael, que chegou à categoria 3 nesta terça-feira (9) — Foto: REUTERS/Jonathan Bachman

Michael chega aos EUA semanas depois do furacão Florence ter deixado 50 mortos e um rastro de devastação nas Carolinas do Norte e do Sul.

No ano passado, uma série de furacões atingiu o Atlântico ocidental. Os mais devastadores foram Harvey no Texas, Irma no Caribe e Flórida e Maria, que atingiu o Caribe e deixou quase 3 mil mortos no território americano de Porto Rico.

A temporada de furacões no Atlântico termina em 30 de novembro.

 
Furacão Michael atingiu a categoria 4 nesta quarta-feira (10) — Foto: Reprodução/ National Hurricane Center (NHC)

Furacão Michael atingiu a categoria 4 nesta quarta-feira (10) — Foto: Reprodução/ National Hurricane Center (NHC)

Como se forma um furacão  — Foto: Arte/ G1

Como se forma um furacão — Foto: Arte/ G1

 

Veja as mais acessadas