Vem aí o Caminho dos Vinhos no Oeste catarinense - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais
Concorra a prêmios! Seja o primeiro
a saber dos sorteios e promoções.

Oeste Catarinense Vem aí o Caminho dos Vinhos no Oeste catarinense

Vem aí o Caminho dos Vinhos no Oeste catarinense

Com o objetivo de atrair mais turistas e fortalecer os negócios considerando suas localizações geográficas no Oeste catarinense, quatro vinícolas de altitude lançam o Caminho dos Vinhos Terras Altas Catarinenses. Integram o projeto a Villaggio Grando de Água Doce; Panceri, de Tangará; Kranz de Treze Tílias; e a Santa Augusta, de Videira.

– Nosso projeto é focado em enogastronomia, considerando as características de cada vinícola. O centro da rota será em Treze Tílias, que é a cidade que tem maior rede hoteleira – afirma Guilherme Grando, diretor comercial da Villaggio Grando e também presidente da entidade Vinhos de Altitude – Produtores Associados, que reúne as empresas do setor em SC.

Segundo ele, é uma forma de projetar a região com atenção à localização porque Santa Catarina é um Estado pequeno, mas as distâncias, na prática, para os turistas, são grandes porque falta infraestrutura aérea. O aeroporto polo para a rota Caminhos do Vinho será o de Chapecó, que fica a 180 quilômetros de Treze Tílias. Por rodovias, Florianópolis fica a 420 quilômetros; Blumenau a 350; Balneário Camboriú a 400; e São Joaquim, município que sedia o maior número de vinícolas de altitude, fica a cerca de 300 quilômetros de Treze Tílias.

O projeto foi feito com consultoria do IEL, da Federação das Indústrias de SC, e o nome foi escolhido porque os vinhedos da região estão numa altitude de 1,3 mil metros, em média. Essa parceria não se sobrepõe à associação Vinhos de Altitude, que tem outro foco, diz Grando.

Um ano melhor

As vinícolas catarinenses projetam vendas melhores este ano do que em 2017, mas não dá para estimar percentual, afirma Guilherme Grando. De acordo com ele, a alta do dólar inibe um pouco a venda de importados, e a inclusão das empresas no Simples ajuda. Mas ainda são muitos os obstáculos, especialmente a substituição tributária, que tira capital de giro.

O frio vende mais

A queda de neve na Serra catarinense é um motivo para destacar uma das atrações da região, os vinhos de altitude, cujo principal polo de vinícolas é São Joaquim. A propósito, o enólogo da vinícola Villa Francioni, Nei Geraldo Rasera, após a empresa ser premiada com o Top of Mind da NSC, semana passada, disse que o frio ‘é o maior vendedor de vinho no Brasil’. A presidente da Villa Francioni, Daniela Freitas, informou que em julho, as vendas dobram na sede da vinícola e nos demais mercados sobem 50%.

 

Acate: dados e posse

Acontece hoje a posse da nova gestão da diretoria da Associação Catarinense de Tecnologia (Acate), que tem à frente o empresário Daniel Leipnitz. O evento será às 18h30min, na sede da entidade, na SC-401, em Florianópolis. Antes, a associação vai divulgar pesquisa inédita com os números do setor em Santa Catarina nos últimos dois anos. Além disso, será feito o credenciamento dos Centros de Inovação da rede municipal de inovação da prefeitura.

 Fonte: NSC TV

Veja as mais acessadas