Menino de 13 anos tranca tia no quarto após ela tirar narguilé dele em Herval d' Oeste - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais
Concorra a prêmios! Seja o primeiro
a saber dos sorteios e promoções.

Herval d' Oeste Menino de 13 anos tranca tia no quarto após ela tirar narguilé dele em Herval d' Oeste

Menino de 13 anos tranca tia no quarto após ela tirar narguilé dele em Herval d' Oeste

Um caso inusitado foi atendido pela Polícia Militar em Herval d´Oeste nesta quarta-feira, 20. Segundo o relatório da PM, um menino de 13 anos trancou a tia no quarto, o que gerou uma discussão entre os dois. Mas, o que mais chamou atenção dos policiais é que a discussão aconteceu por causa de um aparelho de narguilé.

Quando os policiais chegaram a mulher estava ainda trancada. Os pms tiveram que convencer o menino a abrir a porta e liberar a tia.

 A tia, de 40 anos, relatou que seu sobrinho, que convive na sua residência, trancou ela no quarto após ela pegar um aparelho de narguilé, que é usado pelo menor.

Os policiais orientaram o menor sobre a situação de fumar em sua idade, o que é proibido, e depois a guarnição foi dispensada pela tia.

COMUM ENTRE JOVENS, NARGUILÉ CAUSA DEPENDÊNCIA E ESTÁ LIGADO AO CÂNCER.

 

Ao consumir o narguilé, além de absorver substâncias tóxicas, a pessoa inala os produtos da combustão do carvão utilizado para queimar o fumo.

Comum entre os jovens 

Foto: Ed Viggiani/Estadão

Com consumo crescente no Ocidente, principalmente no Brasil, Estados Unidos e Europa, seu uso leva à dependência de nicotina, é porta de entrada para outras formas de tabaco e aumenta o risco para desenvolvimento do câncer, assim como para doenças cardiovasculares e infecciosas, como herpes, hepatite e tuberculose, alerta a Organização Mundial de Saúde.

Narguilé - Muito pior que cigarro

Criado na Índia no século 16, o narguilé é popular em países do sudeste asiático, do norte da África e do mediterrâneo Oriental.

O consumo desse cachimbo com água, por sua vez, vem se popularizando, desde os anos 1990, também entre os jovens brasileiros, norte-americanos e de parte da Europa, sendo uma porta de entrada para a dependência de nicotina e o consumo de outras formas de tabaco.

O alerta é da Organização Mundial de Saúde (OMS), por meio do Relatório do Grupo de Estudo para Regulação do Tabagismo (TobReg-WHO).

Mais do que conter água, o narguilé é um cachimbo que traz um fumo especial, feito com tabaco, melaço e frutas ou aromatizantes.

O fumo é queimado em um fornilho e sua fumaça, após atravessar um recipiente com água, é aspirada por uma mangueira até chegar à boca.

Difundido pela indústria tabagista como uma forma inofensiva de consumo de tabaco com a argumentação de que a água seria capaz de filtrar os componentes tóxicos, o narguilé é sim prejudicial à saúde.

Partes do Narguile

Ao consumir o narguilé, além de absorver substâncias tóxicas, a pessoa inala os produtos da combustão do carvão utilizado para queimar o fumo.

“A quantidade de monóxido de carbono inalada no consumo do narguilé é muito maior do que no cigarro, pois não há filtro. A água serve apenas para resfriar a fumaça do tabaco queimado”, afirma o cirurgião oncologista e diretor do Departamento de Pulmão e Tórax do A.C.Camargo Cancer Center, Jefferson Luiz Gross.

De acordo com a OMSnão existe consumo seguro de tabaco, incluindo charuto, cachimbo, cigarro e o próprio narguilé.

Alguns estudos sugerem, inclusive, que a quantidade de nicotina inalada com o narguilé é pelo menos o dobro da inalada pelo consumo do cigarro normal, causando uma dependência ainda maior.

Além disso, o cigarro é consumido em cinco ou dez minutos, enquanto o narguilé, geralmente utilizado socialmente na roda com os amigos, é inalado por até duas horas seguidas, intensificando a quantidade de nicotina.

O mesmo documento ressalta que entre os jovens tabagistas na faixa dos 13 aos 15 anos, ao menos 20% já são consumidores de narguilé.

Dependência de Nicotina

Um estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Instituto Nacional do Câncer (INCA) concluiu que fumar narguilé por uma hora seguida corresponde ao consumo de tabaco de cem cigarros.

Além disso, dados mostram que, apesar de terem conhecimento e consciência dos riscos do tabaco, 55% dos estudantes da área de saúde que fumam também utilizam o narguilé.

Outra preocupação é que o uso de narguilé está associado, muitas vezes, ao consumo de outras drogas.

Algumas pessoas colocam bebida alcoólica, como vodka e cachaça, ao invés da água, e misturam maconha ou crack com o tabaco.

“Nessas situações, o narguilé se torna uma verdadeira bomba. Além do álcool, que é volátil, a pessoa também inala as substâncias tóxicas do tabaco, das outras drogas e da fumaça do carvão”, completa Jefferson Luiz Gross.

A comercialização de narguilé em São Paulo é regulamentada pela Lei 13.779, que restringe a venda e o consumo de narguilé apenas aos maiores de 18 anos.

De acordo com a OMS, o uso do produto está associado com o desenvolvimento de câncer, principalmente de pulmão, assim como de doenças cardiovasculares.

O consumo em longo prazo, afirma o INCA, também estaria associado com um maior risco para câncer de boca e bexiga.

Além disso, como a mangueira é geralmente compartilhada por vários indivíduos, pode também levar a doenças infecciosas como herpes, hepatite e tuberculose.

Consultoria: A.C.Camargo Cancer Center

Fonte: O Estado de S.Paulo

Veja as mais acessadas