Órgãos creditam piora na balneabilidade das praias em SC às chuvas da última semana - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais
Concorra a prêmios! Seja o primeiro
a saber dos sorteios e promoções.

Santa Catarina Órgãos creditam piora na balneabilidade das praias em SC às chuvas da última semana

Órgãos creditam piora na balneabilidade das praias em SC às chuvas da última semana

 Mesmo que parcial, o primeiro relatório de balneabilidade do litoral catarinense divulgado ontem pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma) aponta que quase metade dos 158 pontos avaliados (45,5%) estão impróprios para banho em todo o Estado. Só na Ilha de SC, pelo menos 33 dos 66 locais monitorados foram classificados como impróprios. Apesar do crescimento, a Fatma e a Secretaria de Estado de Turismo garantem que o resultado é pontual, causado pelas chuvas da última semana.

Os números acendem um alerta, principalmente por conta da alta temporada, quando o fluxo de pessoas que frequenta as praias do litoral catarinense aumenta. Neste relatório, chama atenção os dados referentes  no litoral norte do Estado praias JURERÊ,CANASVIEIRAS em FLORIANÓPOLIS e BALNEÁRIO CAMBORIÚ.. 

O revés fez com que a Casan investisse na região, melhorando as condições já para a temporada seguinte. A situação, porém, continua crítica em períodos de chuvas prolongadas. Prova disso é o resultado das últimas quatro avaliações da Fatma no local, anteriores a divulgada nesta semana, quando apenas um dos quatro pontos analisados, o 82, próximo da Rua José Daux, teve reiteradas avaliações negativas.

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) pontua que a principal razão da falta de condições para banho na região foi causada por uma forte chuva que caiu no dia 1º de janeiro, véspera da coleta, conforme explica o gerente de balneabilidade da fundação, Oscar Vasques Filho: 

 — Tivemos uma grande precipitação no dia 1º e vínhamos de um período de seca. A chuva varreu as galerias e as ruas e levou os dejetos para o mar. Além disso, tivemos um encurtamento da faixa de areia, que ajudava a filtrar um pouco.

O secretário de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Leonel Pavan, lamentou os resultados prévios deste relatório ao afirmar que toda notícia ruim é prejudicial ao turismo não só em Florianópolis, mas no Estado como um todo.

— A chuva lava calçadas, asfalto, tubulações subterrâneas e leva esses detritos para o mar. Quando fui prefeito em Balneário Camboriú, provamos que quando se faz coleta de água, vai se encontrar problemas. Mas se for olhar e, de cinco coletas, uma deu errada, é por que foi por causa da chuva. Se coletar água nesses pontos hoje, vai dar bom — disse.

A expectativa do gerente de balneabilidade da Fatma, Oscar Vasques Filho, é de que o resultado da próxima coleta, que deve ser feita entre segunda-feira e terça-feira da próxima semana, seja mais positivo. Caso contrário, a situação que já é de alerta se agravará. Isso porque, segundo ele, independente do histórico das análises ser positivo, um resultado ruim é considerado preocupante já que é a saúde do banhista que está em risco. Nesses casos, Vasques Filho explica que cabe aos órgãos públicos tomar providências. 

_ Já é preocupante agora, é uma questão se saúde pública, Se continuar assim todas as medidas possível deverão ser tomadas _ alerta. fonte dc

Veja as mais acessadas