Diretor da Tropical FM engana golpista e faz alerta - Radio Tropical FM 99.1
(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais
Concorra a prêmios! Seja o primeiro
a saber dos sorteios e promoções.

Treze Tílias Diretor da Tropical FM engana golpista e faz alerta

Diretor da Tropical FM engana golpista e faz alerta

De forma divertida, o diretor administrativo da Tropical FM, Fernando Lopes de Lima, faz um alerta sobre os inúmeros golpes que são aplicados diariamente no Brasil.

 

No final da tarde desta sexta-feira (22), Fernando recebeu uma ligação de uma pessoa que se identificava como "Reinaldo Gianechini Assunção" representante do setor financeiro da empresa de telefonia a qual o aparelho está vinculado.

Primeiro fato que chama atenção é que o suposto representante pergunta o nome de quem está falando e trata-se do proprietário daquela linha telefônica, para então anunciar que ele havia sido contemplado com uma premiação no valor de 15 mil reais e mais um smartphone.

Imediatamente, Fernando percebeu que se tratava de um golpe, mas resolveu simular que estava acreditando no homem que se passava por representante da companhia telefônica tinha para dizer e ter uma ideia do que é dito na realização desse tipo de crime.

A conversa segue por pelo menos 20 minutos, trechos da ligação você pode conferir nos áudios abaixo.

Áudio 1

Áudio 2

Áudio 3

Áudio 4

Áudio 5

 

 

O autor da ligação passa um número de CNPJ e endereços falsos da suposta empresa, bem como número de protocolo da ligação, tentando ganhar a confiança de Lopes de Lima.

A situação parece uma piada pela quantidade de inconsistências presentes na fala do golpista.
Entre elas está o nome utilizado, que faz referência a um ator da globo, a pronúncia da marca do smartphone, quando supõe-se que um representante de empresa teria um pouco mais de noção.
Além disso, chama atenção a necessidade da vítima ir até a agência para fazer uma transação para posteriormente receber o “prêmio”, devido a uma tecnologia supostamente inventada por um chinês, de nome indecifrável.

O golpista tenta convencer a vítima de que a transferência que ela fizer, vai gerar um comprovante do valor de R$15 mil depositados “diretamente na sua poupancinha”. Ainda simula de forma grotesca uma voz feminina, que estaria autorizando a transação.


O autor do golpe diz ainda que a ligação estaria sendo monitorada por órgãos como o Procon, a Anatel e a Polícia Federal, por isso Lopes de Lima deveria, no deslocamento para a agência, colocar o celular no bolso e não comentar com ninguém a ligação, caso contrário perderia o prêmio.


Quando Fernando cogita olhar o saldo da conta bancária, o homem imediatamente diz para ele não fazer isso, pois somente a conferência do comprovante de transferência seria necessário. Pede ainda que a operação seja repetida por várias vezes.

Para manter a atenção do golpista, o diretor da Tropical FM disse que teria R$80 mil na poupança, o que aumentou a pressão pela realização da transferência. Fernando também utilizou um aparelho Microondas para dar sonoridade ao momento em que supostamente estava teclando os dados da conta no caixa eletrônico para fazer a transferência.

Para tentar se certificar de que o depósito havia sido feito, o golpista pede que sejam repassadas as informações no comprovante, mas acaba enganado por Fernando, que chega a chamá-lo de “trouxa”. A ligação dura mais alguns minutos, e encerra quando o golpista percebe que nenhum valor foi transferido para sua conta, insiste com Fernando para que repita o procedimento, até que o diretor pergunta de qual presídio ele está falando.

O golpista encerra a ligação, mas volta a retornar três vezes na tentativa de aplicar o golpe, Fernando volta a perguntar sobre a localização do presídio do qual o homem estaria falando, até finalmente desistir.

Fernando Lopes de Lima, disse que decidiu fingir que estava acreditando na conversa e seguir com a ligação, justamente para fazer a gravação e dar aos ouvintes uma ideia do que é utilizado como argumento nesse tipo de golpe.

Segundo ele, são questões simples como a falta de informação, e de coerência que se identificados fazem com que o golpe possa ser evitado. Por isso, ele orienta as pessoas que não passem qualquer tipo de informação pessoal, familiar ou financeira por telefone e jamais façam transferência para desconhecidos.

Por fim ele ressalta “Não acreditem em milagres financeiros. Dinheiro fácil não existe, esse é o maior dos golpes, porque as pessoas ainda acreditam em dinheiro fácil”, finalizou Fernando Lopes de Lima.

Veja as mais acessadas