• 49 3537.0980 Telefone
  • 49 9104.0013 Celular SMS / WhatsApp

Santa Catarina Transplantado, jovem de São Miguel do Oeste publica vídeo com mensagem importante sobre a valorização da vida

Transplantado, jovem de São Miguel do Oeste publica vídeo com mensagem importante sobre a valorização da vida

Um vídeo que ensina como superar as dificuldades de uma doença grave. Esse foi o objetivo do vídeo publicado no sábado (16) pelo jovem de São Miguel do Oeste, Matheus Agostini. A postagem foi em celebração ao Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. Com uma mensagem breve, mas tocante, Matheus falou sobre a importância de priorizar a vida e nunca perder a esperança. 

Apaixonado por música, o jovem integrava uma banda de rock e em breve daria início a uma graduação para se tornar músico diplomado. O diagnóstico da leucemia chegou em janeiro de 2016, exatamente um ano após a cura de uma primeira forma da doença, mais branda. Depois de um caminho delicado em busca de um doador compatível, Matheus encontrou seu anjo da guarda e recebeu o transplante em setembro de 2016. Desde então, vem mantendo cuidados importantes com a saúde mesmo após um ano. 

O DIA MUNDIAL DO DOADOR DE MEDULA

A data foi criada em 2015 pela World Marrow Donor Association (WMDA), associação mundial que reúne os registros de doadores de medula óssea, para conscientizar sobre a importância da doação de medula óssea. No Brasil, o cadastro para doação de medula é coordenado pelo Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome), que já conta com mais de 4 milhões de doadores cadastrados.

A data é celebrada no terceiro sábado de setembro de cada ano.O doador, quando se cadastra no Redome, pode ser chamado para fazer a doação para um paciente de qualquer lugar do Brasil e do mundo. Os registros de todo o mundo são conectados e, por isso, é muito comum que um doador brasileiro faça a doação para um paciente de fora do Brasil e que pacientes brasileiros também recebam a doação de outro país.

O doador realiza a doação em seu país de origem e o material coletado é enviado para o país do paciente, onde o transplante será realizado. Em 2015, o Redome enviou 50 unidades para transplantes no exterior e recebeu 132 unidades do exterior para realizar transplantes no Brasil.

Clique para ver o vídeo

Notícias Relacionadas