(49) 3537.0980
Telefone
(49) 99104.0013
Celular SMS / WhatsApp
Acompanhe
nas redes sociais
Concorra a prêmios! Seja o primeiro
a saber dos sorteios e promoções.

Geral Chape vacila nos acréscimos, comete pênalti, e perde a Copa Suruga para Red Diamonds

Chape vacila nos acréscimos, comete pênalti, e perde a Copa Suruga para Red Diamonds

Abe decide o título para o time de Urawa em infração muito questionada pelos brasileiros, que ironizaram arbitragem com aplausos. Verdão agora foca em sair do Z-4 do Brasileirão

O JOGO


Um título que parecia fadado a ser decidido da marca do pênalti. Pior para a Chapecoense que essa oportunidade surgiu ainda com bola rolando para o Urawa Red Diamonds. Em jogo de baixo nível técnico e raras oportunidades de gol, os japoneses fizeram 1 a 0 com Abe, em penalidade, já nos acréscimos do segundo tempo, e ficaram com o título da Copa Suruga, nesta terça-feira, no Saitama 2002 Stadium, no Japão. Além do troféu, o Verdão volta para o Brasil com premiação reduzida em menos da metade e pressionado no Z-4 do Brasileirão.

PRIMEIRO TEMPO

Lucro. Muito no lucro. A Chapecoense foi para o vestiário com motivos para comemorar depois do primeiro tempo. Isso pelo simples motivo de o placar continuar 0 a 0. Sem atitude e acuado diante de um adversário que abusava organização, mas carecia de técnica e criatividade, o Verdão foi totalmente dominado, ao ponto de sequer ameaçar o gol de Enomoto. Os 66% de posse de bola dos japoneses ajudam a comprovar a superioridade.

Apesar da nova formação, a Chape foi nula no meio-campo e, nas raras chance em que tentou sair para o ataque, apelou para bolas esticadas para Apodi. O Urawa, por outro lado, demonstrava tranquilidade e tinha campo para pensar o jogo. Aí que morava o problema. Menos mal para os brasileiros que os japoneses tratavam ao redor da área e nada fizeram além de bolas aéreas.

SEGUNDO TEMPO

A Chape voltou melhor para o segundo tempo e equilibrou as ações. Com maior posse de bola, conseguiu se manter no campo ofensivo e minimizava os riscos. Apodi, por sua vez, seguia como a melhor opção e, na base dos cruzamentos, os brasileiros passaram a rondar o gol de Enomoto. O placar de finalizações que chegou a estar 0 a 2 passou para 7 a 3 em pouco mais de 20 minutos.

Se o jogo aéreo era a solução mais simples, a primeira grande oportunidade surgiu pelo meio, quando Luiz Antonio achou Arthur Caike nas costas da zaga. Enomoto fechou bem o ângulo e impediu o gol. A Chape tinha o jogo sob controle diante de um Urawa que parecia conformado com os pênaltis. A oportunidade de cobrar a infração máxima, entretanto, surgiu antes para os japoneses. Grolli derrubou Zlatan na área. Abe cobrou já aos 47 e definiu o título.

PRESSÃO

O revés no Japão aumenta a pressão para cima da Chapecoense na volta ao Brasil. Sem vencer desde o dia 23 de julho, quando bateu o Vitória, em Salvador, o Verdão tem quatro derrotas nos últimos cinco jogos e está na zona de rebaixamento do Brasileirão - com um jogo a menos. Domingo, o comprmisso é contra o Palmeiras, às 19h (de Brasília), na Arena. Três dias depois, há duelo com o Corinthians, em jogo atrasado, em Chapecó.

 

Fonte: G1

Veja as mais acessadas